292 Propriedades

Albufeira no Algarve

Albufeira no Algarve

Albufeira é uma cidade portuguesa pertencente ao Distrito de Faro, região e sub-região do Algarve, com cerca de 31 000 habitantes.[1] É sede de um município com 140,66 km² de área[2] e 40 828 habitantes (2011),[3][4] subdividido em 4 freguesias.[5] O município é limitado a oeste e noroeste pelo município de Silves, a nordeste e leste por Loulé e a sul tem uma ampla costa no Oceano Atlântico. Por conta de uma vida noturna (bares, discotecas, restaurantes de renome) vibrante, festas frequentes e algumas das mais belas praias de Portugal, Albufeira converteu-se num dos maiores polos turísticos do país, destacando-se por consequência como a cidade portuguesa com maior número de estrangeiros residentes, com 22,5% da população permanente tendo nascido no exterior, nomeadamente em outros países europeus.[6] Uma pesquisa do site Cheerfulway elegeu Albufeira como o melhor lugar para se viver em Portugal.[7] Albufeira é uma cidade litorânea na região do Algarve, que fica no sul de Portugal. A antiga vila de pescadores se tornou um destino de férias muito procurado, com praias e uma agitada área com atrações noturnas. Atualmente, os pescadores locais usam a moderna marina, que também é uma base para mergulho, observação de golfinhos e passeios de barco. Ela é cercada por prédios residenciais coloridos, com um calçadão à beira-mar. O topónimo Albufeira provém da palavra árabe البحيرة (al-Buħayra), designação do séc. VIII, que significa a lagoa ou pelo mar, ou, segundo outros especialistas, castelo do mar, dispondo-se altaneira e em anfiteatro sobre o mar. Do período Árabe perduram as ruelas estreitas, o velho castelo e as casas muito brancas com as suas açoteias e arcos. A área atual do concelho de Albufeira encontra-se ocupada pelo homem pelo menos desde o ano 2000 a.C. Os Romanos deram-lhe a designação de Baltum, e os Árabes. que ocuparam em 716, denominaram-na Albuar ou Albuhera.[8] Findos os cinco séculos de presença árabe podemos falar de uma profunda alteração da r
Detalhes
O Mercado de Loulé

O Mercado de Loulé

O Mercado Municipal de Loulé foi inaugurado no dia 27 de Junho de 1908, altura em que a Câmara Municipal era presidida por José da Costa Mealha. O edifício foi construído segundo projecto do Arquitecto Alfredo Costa Campos, de Lisboa, embora o mesmo projecto tenha conhecido algumas alterações desde o documento inicial de 1903 que por sua vez já tinha por base um outro projecto de 1898 cujo o autor se desconhece. A ideia de construir um mercado para o peixe, frutas e hortaliças era já antiga e consensual, no entanto, a sua localização e o número de mercados a construir não reunia o consenso dos Louletanos. A rivalidade era sentida sobretudo entre a Freguesia de São Sebastião e a Freguesia de São Clemente. Segundo os jornais da época existiam diversas propostas quanto à localização do Mercado. Em 1891, a Câmara Municipal encomendou ao Construtor de Obras Públicas de Faro um projecto para o mercado de venda de peixe. Esse mercado seria construído junto ao Largo de Chafariz (actual Largo D. Afonso III) e consistia numa planta rectangular com 33 metros de comprimento e 19,5 metros de largura, tinha 60 bancas com um metro quadrado cada e nove compartimentos para arrecadações. Este projecto não foi concretizado mas reflecte a preocupação da Câmara relativamente à venda do peixe por ser a mesma que arrancava mais críticas aos Louletanos. Após uma longa discussão, a Câmara decide então, em finais do século XIX, construir o Mercado ao lado do edifício dos Paços do Concelho e iniciam-se então as expropriações e respectivas demolições no início do século XX. Em termos arquitectónicos, o mercado adoptou o estilo revivalista de inspiração árabe com quatro pavilhões e quatro portões de acesso. Porém, a Câmara não tinha grandes disponibilidades financeiras naquele momento e a verba disponível era insuficiente para a execução da totalidade do projecto. Nesse sentido, foi pedido ao arquitecto que fizesse algumas alterações no projecto, as quais foram apresentad
Detalhes
Serviços e Parceiros

Serviços e Parceiros

Tendo em conta o crescente aumento das nossas transações imobiliárias nesses últimos anos e pelo facto de grande parte dos nossos clientes serem francófonos e não residirem no ALGARVE, a VILLAMARKET sentiu-se na obrigação em propor um leque de serviços aos nossos clientes além da mediação imobiliária através dos nossos parceiros de negócios : - Para os serviços de solicitadoria e as atividades jurídicas poderão contar com a Dra. Diana Patrícia Oliveira Marques em permanência na nossa loja da Rua do Movimento das Forças Armadas nº 74 em Albufeira. - Com o objetivo de valorizar e manter o património dos seus clientes a VILLAMARKET dispõe do serviço de mediação de obras através da empresa BRANQUIMENSO que ajudará os nossos clientes a encontrarem os melhores empreiteiros ao melhor preço. Além dos serviços de remodelações e construção a BRANQUIMENSO também faz serviço de limpezas e tem uma lavandaria aberta ao público na zona da Oura e Avenida dos Descobrimentos em ALBUFEIRA. - Para os serviços de arquitetura e engenharia poderá contar com a nossa parceira a Arquitecta Sofia Nobre Costa sendo uma grande mais valia para a concretização dos projetos dos nossos clientes além de ela falar francês. - Para os serviços de foto reportagens e vídeos contamos com a nossa parceira Raquel Moura como sendo um fotógrafa professional especializada no ramo imobiliário e com excelentes equipamentos como drones e máquinas fotográficas com grandes qualidades. Porque a mediação imobiliária é um negócio de pessoas baseado na confiança, a VILLAMARKET conta com todos os seus parceiros para que continuem o nosso trabalho prestando o mesmo serviço de excelência aos nossos clientes. Os nossos parceiros são aos nossos olhos e o nosso serviço pós venda: - A VILLAMARKET é parceira das entidades bancárias e financeiras seguintes: a CAIXA GERAL DE DEPOSITOS, o MILLENNIUM BCP, a UCI e o CREDITO AGRICOLA. Logo temos para a comercialização todos os imóveis destas entidades de Norte a Su
Detalhes